Páginas

27 de agosto de 2013

Segunda parte: A história de Ana e Bruno!



E já era outra dia. Levantei da cama um pouco mais tarde hoje. Era sábado e não havia muito o que fazer na fazenda. Depois do almoço, fui sentar em um balanço que havia um pouco distante da casa. Fiquei lá observando os montes, às arvores, os pássaros. Sentindo apenas o vento geladinho de inverno no rosto e o silêncio tomando conta de todo aquele verde. De repente, sinto uma pessoa tapando meus olhos. Aquela antiga brincadeira de adivinhar quem é? Me assustei e virei rapidamente para ver quem era. Era Bruno, quando virei ele abriu um sorriso lindo me fazendo sorrir também.

Perguntei onde íamos e ele me respondeu que iríamos para onde eu quisesse, sorri e disse que queria caminhar. Saímos e fomos andando, papeando sem parar um minuto se quer. De uma hora para outra, ele pegou na minha mão e fomos caminhando de mãos dadas. Eu fiquei um pouco sem graça com toda aquela situação e comentei sobre o dia que ele derrubou sorvete no meu vestido. Ele riu, mas pude perceber que ele havia ficado sem graça pois tinha ficado um pouco vermelho. Continuamos o papo até voltar a fazenda e lá, novamente, ele me chamou para sair no dia seguinte. E eu aceitei. 

Depois daquele dia ficamos muito mais próximos um do outro. Saímos todas as tardes, e eu já o conhecia muito bem. Nadávamos em cachoeiras, andávamos à cavalo, íamos ao cinema, conversávamos horas e horas sem parar, e assim foi durante três semanas. Faltava apenas umas semana para mim voltar a minha vida rotineira da cidade grande. Bruno havia me convidado para ir a uma festa de arrecadação de fundos para o orfanato da cidade. E eu aceitei, seria no sábado e eu iria partir na segunda de manhã. Achei que seria uma bom jeito de me despedir dele, do meu tão querido companheiro, com quem passei ás férias.

Eu sempre fui meio chata e apesar de ter tentando adiar está viagem estou muito feliz por todos esses recentes acontecimentos. Eu não sabia explicar o que estava sentindo, estava tudo muito confuso mas eu estava feliz. Eu não sabia como Bruno iria lidar com a minha partida, muito menos como eu iria me virar com tudo isso. Tudo bem! Passamos apenas um mês juntos, mas nos apegamos um ao outro. Porra! Como fiz isso? deixei um sentimento tão complicado me dominar em tão pouco tempo. 

Calma Ana! Respira. Pra tudo tem um jeito e eu com certeza vou dar o meu jeito. Sábado vamos conversar...muito e com certeza vou resolver. Mesmo depois dessas semanas terem sido lindas e românticas, conto de fadas não existem, são apenas histórias que fazem com que fiquemos com esses pensamentos bobos na cabeça. Dormir! EXATAMENTE disso que preciso, uma boa noite de sono para que amanhã eu não faça besteira e não fale nenhuma merda.

2 comentários:

  1. Hmmm! Mt bom =)
    http://socidadedamodafeminina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Muito bom...ja estou na espera do proximo capitulo rs

    www.leticiapsicologa.blogspot.com

    ResponderExcluir